Notícias

“Plantando ideias, colhendo conhecimento” – Cooperativa de aprendizes do campo elege e empossa nova diretoria

15/09/2017

O Programa Aprendiz Cooperativo do Campo segue, com passos firmes, trabalhando a formação de cidadãos mais responsáveis e, principalmente, novas lideranças para um país que sofre com grave crise moral e ética. Nesse contexto, mais um exemplo de cooperativismo na prática marcou o início das atividades da nova diretoria da Cooperativa Escolar de Aprendizagem Teutônia (COOPEAT), originada a partir das atividades desenvolvidas no inédito programa, lançado em fevereiro de 2016, cuja Assembleia Geral Ordinária de eleição e posse ocorreu no dia 14 de setembro.

O Aprendiz Cooperativo do Campo é desenvolvido em parceria pela Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul e Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Ocergs-Sescoop/RS), Cooperativa Languiru e Colégio Teutônia, com o trabalho de constituição de cooperativa escolar incentivado pela Sicredi Ouro Branco.

Associados da cooperativa escolar com representantes dos parceiros Colégio Teutônia, Languiru e Sicredi (Fotos: Leandro Augusto Hamester)

Composta por 25 aprendizes cotizados pela Languiru, entre 15 e 17 anos de idade (alguns, inclusive, filhos de colaboradores e filhos e netos de associados da Languiru), a segunda turma do programa iniciou suas atividades no último mês de agosto. Seguindo todas as formalidades de uma assembleia de cooperativa tradicional, após composta a mesa de trabalhos, foram lidas a ata da assembleia anterior, o edital e artigos do estatuto social, continuando com eleição e posse dos novos integrantes do Conselho Fiscal e da diretoria da COOPEAT, a primeira cooperativa de Aprendizes do Campo no Brasil.

 

Eleição e posse

 

Com a inscrição de chapa única, o grupo foi eleito por unanimidade de votos dos associados. Em seu primeiro discurso como presidente para o período de 2017 e 2018, Douglas Ezequiel Engel (15) resumiu suas principais funções à frente da COOPEAT, destacando ações de representação, de convocação de assembleias e de supervisão das atividades desenvolvidas pela cooperativa escolar, entre elas controle de documentos financeiros, contratuais e contábeis. “Todos os associados da cooperativa, independentemente de terem alguma função na diretoria, têm a mesma importância. Esse é o sentido de cooperativa, a igualdade. A motivação para assumir essa responsabilidade vem da família, que sempre me ensinou a tomar iniciativa, além de poder representar nossos associados. Sou muito grato por tudo e vou retribuir com o meu melhor”, disse, agradecendo ainda o apoio dos parceiros do Programa Aprendiz Cooperativo do Campo.

Diretoria e Conselho Fiscal da cooperativa escolar para a gestão 2017/2018

O jovem presidente conduziu a apresentação de seus pares de diretoria, com o vice-presidente Alan Vitor de Borba (16), primeira-secretária Giovanna Prates Brandão (17), segunda-secretária Nicoli Caroline de Amorim (15), primeira-tesoureira Gabriela Elise Aschebrock (15), segunda-tesoureira Bruna Frübel Flach (15), diretor de produção Gian Carlos de Vargas de Moura (17), diretor de divulgação e cultura Teilor Kohls de Cordova (16) e diretor de consumo Janquiel William Pereira (16).

Os membros efetivos do Conselho Fiscal são Felipe da Rosa Müller (15), Murilo Machado Pinto (15) e Guilherme Jacobs (17), com os suplentes Tiago Augusto Lindemann (15), Daiane Beatriz Maurer (16) e Richard Henrique Lindemann (16).

Na apresentação do plano de gestão da COOPEAT, os diretores adiantaram que será dado continuidade aos projetos iniciados pela primeira gestão da cooperativa escolar, além da busca por novas oportunidades. Com o lema “Plantando ideias, colhendo conhecimento”, a organização tem por objetivo educar e promover a difusão da doutrina cooperativista, visando a melhor educação e conscientização dos associados dentro dos princípios cooperativistas, além de servir de laboratório de aprendizagem operacional para a prática e a fixação dos princípios educacionais, preconizados na doutrina cooperativista, por meio da autogestão e da solidariedade.

Professor Everaldo Marini (e) e o novo presidente da COOPEAT, Douglas Ezequiel Engel

Entre os objetos de aprendizagem estão as produções de balas de mel com gengibre, de rapaduras de chocolate e de hortaliças. Também deverão ter continuidade as parcerias com a Agroindústria Vale do Paraíso, de Poço das Antas, e o projeto de aquaponia.

 

Atitudes além do conhecimento

 

O diretor do Colégio Teutônia, Jonas Rückert, enalteceu a proposta dos jovens estudantes. “É de uma grandeza ímpar o que vocês se propõem a fazer, um belo exemplo de magnitude dessa juventude muitas vezes desacreditada no nosso país. A fagulha de esperança está em iniciativas como as propostas nesse trabalho de cooperação. Tenham a certeza de que todo esse empenho está somando para vocês e para a sociedade”, disse.

O professor Everaldo Marini, que acompanhou e auxiliou os estudantes no processo de instalação da cooperativa escolar, deu dicas ao grupo e se disse orgulhoso pelo trabalho desenvolvido, enaltecendo o valor das parcerias. “Nunca fiquem longe dos sete princípios do cooperativismo, são eles que balizam as decisões e ações da cooperativa escolar. Este projeto quer entregar aos estudantes ferramentas para que possam realizar sonhos. Esses jovens aprendem empreendedorismo na prática, com vários exemplos de sucesso, com uma visão estratégica de responsabilidade e de comprometimento. Mais que o conhecimento, precisamos de atitudes como essas, de pessoas de confiança, responsáveis e de iniciativa. O projeto ensina valores que no mercado de trabalho são muito valorizados e exigidos”, parabenizou, desejando sucesso e que saibam aproveitar as oportunidades. “Vocês estão na vitrine, estejam dispostos e saibam que têm muito apoio.”

Assembleia Geral Ordinária da COOPEAT reuniu os aprendizes associados, estudantes, pais, professores, representantes das cooperativas Languiru e Sicredi Ouro Branco e do Colégio Teutônia

Conforme Marini, o Rio Grande do Sul conta, atualmente, com 87 cooperativas escolares em atividade e, no atual exercício, outras 19 passam a integrar esse grupo. No país, o trabalho desenvolvido com estudantes que comandam cooperativas escolares é destaque no Rio Grande do Sul, em Minas Gerais, no Paraná, em Belém do Pará e no Espírito Santo. Projetos muito bem estruturados também acontecem na Argentina, no Uruguai e no Paraguai.

 

Filosofia da COOPEAT

 

MISSÃO: Promover o desenvolvimento do cooperativismo de forma integrada e sustentável, buscando a satisfação e confiança dos consumidores dos produtos e serviços oferecidos pela COOPEAT.

VISÃO: Ser reconhecido por sua excelência no desenvolvimento dos seus diferentes objetos de aprendizagem.

VALORES: Cooperação, ética, honestidade, responsabilidade social e qualidade.

 

 

 

TEXTO – Leandro Augusto Hamester

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras notícias

Temporada de Prêmios Languiru

Ganhadores do primeiro sorteio recebem premiação

Cadeia leiteira

Fórum Tecnológico do Leite traz ciclo de palestras online

Temporada de Prêmios Languiru 2021

Sorteados primeiros vales-compras e motocicleta

“Somos penta”

Prêmio Exportação RS reconhece trabalho da Languiru no segmento alimentos

Tecnologia no campo

Languiru oferece curso gratuito de inclusão digital aos seus associados

Aprendiz Cooperativo do Campo

Nova turma participa de atividades teóricas e práticas até janeiro de 2023

Líderes de Núcleo

Desempenho e investimentos pautam reunião online

Amplo e moderno

Apresentado novo Agrocenter Máquinas

Encontro Mulheres Cooperativistas

Languiru disponibiliza vagas gratuitas limitadas

Ao continuar a utilizar o nosso website você concorda com a nossa política de privacidade.