NOTÍCIAS
Governança - Atividades de novo grupo do Programa de Sucessão Familiar iniciam no dia 16 de agosto
Publicado em 08/08/2018
Formação da Cooperativa Languiru prevê encontros mensais, intercalados com atividades à distância, visitas técnicas, encontros e seminários de sensibilização com a participação de jovens e pais

No próximo dia 16 de agosto, às 14h, inicia a nova etapa, totalmente remodelada e gratuita, do Programa de Sucessão Familiar da Cooperativa Languiru, formação dirigida aos associados, cônjuges ou filhos de associados. O curso está alicerçado no processo de sucessão nas operações e na gestão das propriedades rurais de associados da Languiru, uma forma de estimular a permanência dos jovens no campo e garantir a sustentabilidade da atividade produtiva. A formação é a retomada do programa de mesmo nome, iniciado em novembro de 2013 e com a formatura da primeira turma, com 39 integrantes, em dezembro de 2015.

Numa nova roupagem, o curso traz melhorias em relação à primeira edição. Entre as mudanças, a nova formação prevê, além dos encontros periódicos com os jovens em processo de sucessão, encontros adicionais específicos com os pais ou gestores atuais das propriedades para que o processo possa ser visto e compreendido de forma integrada. Além disso, ainda deverão ocorrer eventos conjuntos entre pais e filhos, oportunidade especial e diferenciada para que, juntos, possam ser debatidas grandes questões técnicas e administrativas relacionadas ao dia a dia da propriedade.

 

Formatação

 

A parceria no desenvolvimento das aulas será da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), de São Leopoldo, que coordena a parte didática com estruturação do material e disponibilização de professores, a maioria docentes nos cursos de graduação e pós-graduação da universidade. Alguns dos módulos do curso, relacionados a assuntos técnicos de produção, também contarão com atividade conjunta de profissionais técnicos de diferentes setores da própria Languiru no desenvolvimento dos conteúdos. A estrutura geral prevê entre 15 a 17 encontros presenciais, tratando de diferentes temas importantes na gestão de uma propriedade no perfil dos associados da Cooperativa Languiru. Ao todo, serão cerca de 18 meses de qualificação.

A turma conta, inicialmente, com cerca de 40 inscritos, e as aulas presencias serão realizadas na Sala de Reuniões da Associação dos Funcionários da Languiru, em Teutônia. A aula inaugural, no dia 16, será no formato de seminário de sensibilização, ocasião em que será definido e acordado o cronograma dos demais encontros, com a coordenação de profissionais da Unisinos e envolvimento da Direção e setor de Comunicação e Cooperativismo da Languiru.

“O processo de sucessão nas propriedades rurais dos nossos associados é tema estratégico na Languiru, uma prática que deve integrar o sistema de gestão e governança corporativa da cooperativa. Além disso, reafirma o nosso compromisso com a sociedade e as gerações futuras. Além de estimular a sustentabilidade das propriedades rurais, primamos pela continuidade da Languiru na produção de alimentos de qualidade a partir da permanência dos jovens no campo”, destaca o presidente Dirceu Bayer.

 

Educação cooperativa

 

Paralelamente ao Programa de Sucessão Familiar, a Languiru também está desenvolvendo o Programa de Desenvolvimento de Conselheiros de Cooperativas, iniciado no mês de abril e voltado ao desenvolvimento da liderança cooperativa, capacitação gratuita oferecida aos seus associados numa parceria com o Sistema Ocergs-Sescoop/RS e o Instituto Superior de Administração e Economia (ISAE).

Conforme o coordenador de Comunicação e Cooperativismo da Languiru, Alexandre Schneider, iniciativas como essas são exemplos práticos de investimentos nos processos de educação. “A cooperativa é dos associados, mas também das futuras gerações. Nesse cenário, são fundamentais a sustentabilidade e a continuidade das propriedades rurais para a produção de alimentos. Administrar uma propriedade ficou muito mais complexo, e normalmente os pais conseguem passar para os filhos as técnicas de produção, mas a gestão de uma propriedade passa por muito mais questões e variáveis. O maior legado que os pais podem deixar para os seus filhos é o conhecimento, preparando-os para quando precisarem tomar novas decisões. E a Languiru quer contribuir para isso”, justifica Schneider, ressaltando que “os que têm na sua cabeça a juventude daqueles que ainda almejam, por um longo tempo, investir e continuar na propriedade, são nosso principal público-alvo. A Languiru tem reduzido a idade média do seu quadro social, e todos têm muito a contribuir, o diálogo é muito importante entre as diferentes gerações na propriedade rural.”

 

Caminhando juntos

               

A sucessão na prática é complementada com o retorno aos bancos escolares nas famílias Secchi e Broenstrup, de Linha Catarina, interior do município de Teutônia. O casal Fábio Luiz Secchi (30) e a esposa Simone Broenstrup (29) estão inscritos no Programa de Sucessão Familiar da Languiru. Eles e o filho Luís Rafael (1) residem e administram a propriedade com produção de leite e aves juntamente com os pais de Simone, Bruno (53) e Liane Teresinha Schneider Broenstrup (50).

Juntos numa mesma direção: família Secchi/Broenstrup vive a sucessão na prática e busca o aperfeiçoamento na volta aos bancos escolares (Foto: Leandro Augusto Hamester)

Fábio é formado tecnólogo em alimentos e Simone administradora. Bruno e Liane possuem escolaridade até o 5º ano do Ensino Fundamental. “O curso oferecido pela Languiru é uma grande oportunidade, algo que muitos produtores de outras gerações não tiveram acesso. Hoje, os jovens possuem muito mais oportunidades de profissionalização e aprendizado”, destaca Simone, enaltecendo as atividades de integração com os pais ao longo do curso.

Bruno e Liane igualmente concordam que a formação possibilita a criação e ampliação de afinidades da linha de pensamento para a gestão da propriedade rural. “Além do acesso à novas tecnologias, o que evoluiu muito, é fundamental seguir buscando o conhecimento”, ressaltam os pais.

Fábio parabeniza a Languiru pela oportunidade. “A iniciativa da Languiru é louvável. A sustentabilidade da cooperativa passa, necessariamente, pela sucessão e continuidade das atividades nas propriedades rurais dos associados. As diversas iniciativas da Languiru nesse sentido são uma demonstração prática da gestão e da perenidade da cooperativa”, avalia o jovem, que também participa do Programa de Desenvolvimento de Conselheiros de Cooperativas.

A expectativa do casal para o novo curso é bastante grande, especialmente para aspectos relacionados à gestão. “Vemos como essa questão é importante na prática do nosso dia a dia na propriedade. São conhecimentos essenciais para todas as gerações envolvidas com o trabalho no campo, com a possiblidade de evoluirmos juntos, além de ser uma atividade que certamente irá fortalecer os laços de afinidade e a sintonia em suas diferentes gerações, uma vez que todos trabalhamos por um objetivo em comum”, acrescenta Fábio, enaltecendo a participação dos sogros em atividades específicas ao longo da formação.

Bruno e Liane concordam com esse posicionamento: “sempre há algo novo para aprender. Pequenos e grandes detalhes fazem muita diferença. ‘Abrir a mente’ é uma condição para evoluir.”

 

 

TEXTO – Leandro Augusto Hamester

MAIS NOTÍCIAS

Todos os direitos reservados à Cooperativa Languiru | SAC: 0800 51 5453 | sac@languiru.com.br
Attitude