Notícias

Gratidão ao cooperativismo

“Eu sei mais ou menos como é o céu, é tão bonito, tão leve”

09/07/2021

Leandro Augusto Hamester

Associado relata momentos de angústia e fundamental apoio da Languiru, que possibilitou acesso ao Capital Social para tratamento de problema cardíaco grave

Sentados na cozinha, a emoção está nos olhos marejados e expressa nas palavras de toda família, que relata momentos de angústia do associado Vilmar Petry (51). Com propriedade na localidade de Rui Barbosa, município de Arroio do Meio, o primeiro grande susto foi em maio de 2016. “Não me sentia bem, fui para a cama e percebi o coração disparar”, recorda Petry, ao lado da esposa Lovani (48) e das filhas Elisângela (19) e Elisabete (16).

Foi a primeira arritmia cardíaca. Levado ao hospital da cidade, foi sedado e internado. “Eu tremia, achei que ia arrebentar”, revela o associado, que até então não sabia de qualquer problema cardíaco.

Vilmar Petry e a esposa Lovani: “a Languiru nos dá confiança e segurança para seguirmos em frente” (Fotos: Leandro Augusto Hamester)

Integrante do quadro social da Languiru há cerca de nove anos, a propriedade dos Petry produz, atualmente, cerca de 1,2 mil litros de leite/dia. Na condição de associado, ele e a família valorizam os benefícios concedidos pela Cooperativa, em especial, um deles: a possibilidade de retirada do capital social integralizado. “Isso nos ajudou muito, aliviou um pouco as contas com hospital e médicos, foi uma nova esperança de conseguir pagar tudo”, destaca Lovani.

Idas e vindas

Entre 2016 e 2018, foram inúmeras idas e vindas, em diferentes hospitais. A última cirurgia foi realizada na PUC, em Porto Alegre. “Eu sei mais ou menos como é o céu, é tão bonito, tão leve. Sou uma pessoa de sorte, os médicos disseram que não me salvaram, mas alguém lá de cima”, detalha Petry. Naquela ocasião, o coração parou. “O peito ficou todo queimado com os choques que foram necessários, era a única chance de me trazer de volta”, comenta.

“Agora estou bem, sigo com medicação e com tratamento na PUC, esperando a situação da pandemia se resolver para repetir os exames”, acrescenta Petry. A esposa é sincera, com a voz embargada: “assinar a documentação para as cirurgias, assumir os riscos, foi muito difícil. Achamos que iríamos perdê-lo”.

Hoje, Vilmar cuida do pasto para trato dos animais, sempre envolto com atividades do trator; Elisabete auxilia o pai; Lovani, Elisângela e a vó Laudelina (73), são responsáveis pela ordenha, controle veterinário e nutrição animal; o vô, Roque (75), também gosta de ajudar, e uma de suas tarefas é dar água às terneiras.

Família residente em Arroio do Meio valoriza trabalho da Cooperativa: “na Languiru, um ajuda o outro”

Gratidão

A família tem enorme gratidão à Languiru e menciona importante apoio recebido do presidente Dirceu Bayer. “Cooperativas são diferentes, até o presidente se envolveu pessoalmente, nos ajudando a agilizar a cirurgia, principalmente pois os casos de arritmia passaram a ser cada vez mais frequentes”, agradece Petry, segurando as lágrimas.

“Passamos muitas dificuldades, a Languiru nos dá confiança e segurança para seguirmos em frente”, manifesta Lovani, ao que acrescenta a filha mais velha: “na Languiru, um ajuda o outro”.

Petry endossa essas palavras: “se tivesse que resumir numa frase, repetiria o que o presidente sempre diz: a Languiru é uma família. Temos voz, somos acolhidos, em nenhum outro lugar se vê disso”, conclui, valorizando outros benefícios concedidos ao quadro social, como incentivos à educação e à participação das mulheres, a visão de futuro com a sucessão nas propriedades rurais e na Cooperativa, a possibilidade de compras com desconto na produção, o trabalho de assistência técnica e a distribuição de sobras.

Cooperativismo

O presidente recorda as conversas com Petry e seus familiares. “Esses depoimentos nos enchem de orgulho e emocionam. Isso é o cooperativismo, que busca o desenvolvimento econômico e social das comunidades onde está inserido, que está ao lado dos seus associados nos momentos bons e ruins. É muito mais que a prática da empatia, é oferecer ferramentas e levar benefícios que auxiliem os produtores rurais. A possibilidade do resgate do capital social é um dos inúmeros benefícios que a Languiru oferece ao seu quadro social e, neste caso, fica evidente o quanto ser associado de uma cooperativa faz a diferença na vida das pessoas”, afirma Bayer. O regulamento para retirada e restituição do capital integralizado dos associados da Languiru, conforme autorizado no Estatuto Social da Cooperativa, prevê resgates de forma única ou parcelada. Aplica-se, automaticamente, nos casos em que o associado deixa de integrar o quadro social. Além disso, ele também poderá requerer esse valor nas seguintes hipóteses: Pessoa Física com 65 anos de idade e que cumulativamente integre o quadro social há, no mínimo dez anos, ou que se aposente por invalidez; e para casos envolvendo doenças graves comprovadas, submetidas à análise posterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras notícias

Meteorologia

Perspectivas do clima para o planejamento da lavoura serão pauta de encontro de associados

Grãos e hortifrúti

Languiru sela parceria com a Philip Morris

Dia do Colono e do Motorista

No campo, a tecnologia. Na estrada, a fé

Tecnologia

Aplicativo reúne e fornece informações sobre captação de leite na propriedade rural

Dia C

Languiru lança segunda edição de projeto de gastronomia direcionado a comunidades carentes

Gestão e Liderança Cooperativa

Languiru inicia nova edição de curso previsto no Estatuto e Sistema de Governança

Expansão

Cooperativa Languiru inicia coleta de leite na Região Sul do Estado

Segurança pública

Languiru auxilia nas reformas do Presídio Estadual de Lajeado

Curso de Sucessão Familiar

“Eu quero ficar aqui, seguir em frente, investir e aumentar a produtividade”

Ao continuar a utilizar o nosso website você concorda com a nossa política de privacidade.