Notícias

Governança Corporativa em Cooperativas – Languiru desenvolve projeto focado em ferramentas de gestão

15/05/2018

“Precisamos preparar novas lideranças, que possam dar continuidade ao projeto de desenvolvimento econômico e social da Cooperativa Languiru. É motivo de orgulho poder participar desse processo de crescimento, que precisa ter uma continuidade.” As palavras são do presidente da Languiru, Dirceu Bayer, referindo-se ao projeto de Governança Corporativa em Cooperativas, que está sendo desenvolvido pela Cooperativa Languiru desde junho de 2017.

Trata-se da implementação de ferramentas, acompanhadas de devidas estruturações legais que permitem à Languiru aperfeiçoar o processo de profissionalização e modernização de sua gestão. Um grupo multidisciplinar, envolvendo funcionários e consultor, designados pelo Conselho de Administração, trabalha a gestão da cooperativa considerando as diversas legislações vigentes que influenciam em adequações do processo. A equipe tem se reunido semanalmente para discutir os avanços do trabalho a partir de um cronograma de atividades pré-estabelecido. Com o andamento das atividades, gradativamente outros setores da Languiru também serão envolvidos.

Conforme o advogado e consultor da Languiru, Lucas Martins Dias, sócio do escritório LMDias Advocacia Empresarial, especializado em Direito Societário, o principal objetivo do projeto de Governança é “propiciar à Languiru uma melhoria contínua no seu processo de gestão e profissionalização das atividades de acordo com as legislações atuais, que impactam na gestão de qualquer sociedade. A partir disso, a cooperativa estará dando um passo pioneiro no conceito de adoção de ferramentas de governança corporativa no segmento cooperativo, qualificando ainda mais a sua reputação perante o mercado em geral”.

 

Sucessão na Languiru e na propriedade dos associados

 

Conforme Bayer, é essencial preparar as futuras lideranças, tanto na sucessão familiar das propriedades dos associados como na gestão administrativa da cooperativa. “Todo esse processo culmina com a reforma do estatuto, implantação do Manual de Transparência, Ética e Conduta, políticas de gestão, regimentos internos, que auxiliarão na adaptação de uma nova realidade. Nos espelhamos em experiências bem-sucedidas”, ressalta, mencionando a reformulação do organograma interno da Languiru. “Considerando outros modelos indicados pelo Sistema Ocergs-Sescoop/RS, presidente e vice-presidente são posições muito importantes, porém mais comprometidas com questões institucionais e de representatividade da cooperativa. Nesse formato, a cooperativa designa profissionais especializados nas suas respectivas funções que se dedicam a questões relacionadas à parte econômica, operacional e executiva. Na Languiru, por exemplo, esse processo já está vigorando e contamos com diretor administrativo e profissionais dedicados à indústria e à controladoria”, exemplifica.

Grupo de trabalho do Projeto de Governança da Languiru reunido com o Conselho de Administração (Foto: Leandro Augusto Hamester)

Nesse mesmo contexto, ele cita a retomada, em breve, da Formação Gerencial de Sucessores da Agricultura Familiar, destinada a jovens associados e filhos de associados, iniciada em novembro de 2013 e com a primeira turma formada em dezembro de 2015; além do início do Programa de Desenvolvimento de Conselheiros de Cooperativas, no último mês de abril, formação que busca a capacitação e preparação de lideranças, esclarecendo atribuições e responsabilidades do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal, dos Líderes de Núcleo e demais integrantes do quadro social da Languiru. “Buscamos seguir melhorando o processo de gestão na cooperativa, atentando para alguns aspectos importantes, como a transparência e o fortalecimento dos princípios do cooperativismo”, destaca Bayer.

“A Cooperativa Languiru cresceu muito nos últimos anos. Somos a maior empresa, cooperativa ou não, com sede no Vale do Taquari, estamos entre as maiores cooperativas de produção do Estado e entre as maiores empresas da região Sul do Brasil. Crescemos muito economicamente, o que sempre foi a nossa preocupação, mas percebemos a necessidade de aprimorarmos nossa gestão, levando em conta todo esse crescimento dos últimos anos. Esse projeto de Governança vem ao encontro dessa necessidade, com o intuito de aperfeiçoarmos o que já possuímos. É uma transformação importante na Languiru”, afirma o presidente.

 

Qualificação

 

Dias ressalta que as ferramentas de governança que passam a ser adotadas pela Languiru qualificam ainda mais o processo de gestão da cooperativa como um todo, tornando o ambiente de produção mais profissionalizado. O projeto será desenvolvido por etapas, com a perspectiva de que as primeiras sejam implementadas a partir de junho de 2018.

“A primeira mudança a ser diagnosticada é a implementação do Manual de Transparência, Ética e Conduta (MTEC), que abrange todas as pessoas que se relacionam com a Languiru, como associados, conselheiros, colaboradores, fornecedores, prestadores de serviços, clientes, parceiros e a sociedade em geral”, ressalta o consultor.

A governança é uma realidade no Brasil, porém pouco utilizada no segmento de cooperativas. “As Sociedades Anônimas (S/A), de capital aberto, possuem ferramentas de governança mais consolidadas. Para a construção do projeto da Languiru, analisamos inúmeros cases bem-sucedidos, que incluem sociedades cooperativas, mas a principal base para implementação desse projeto é a própria operação da Languiru”, explica Dias.

 

Nova filosofia

 

Como um dos resultados já obtidos pelo projeto de Governança, a Languiru atualizou a sua filosofia, conforme abaixo:

 

NEGÓCIO – Produzir alimentos e realizar serviços com qualidade.

VISÃO – Ser referência na produção de alimentos e realização de serviços aliados aos princípios do cooperativismo.

MISSÃO – Agregar valor aos produtos oriundos de propriedades rurais de seus associados, estimulando o empreendedorismo, a inovação, a melhoria contínua e o respeito à tradição da Cooperativa, oferecendo alimentos e serviços de qualidade à sociedade.

ÉTICA – Praticar o bem sem prejudicar o próximo, cumprindo as atividades e responsabilidades respeitando valores de cooperação, honestidade, lealdade, transparência e sustentabilidade.

VALORES E PRINCÍPIOS

Cooperação – Estimular o trabalho em equipe e a cooperação entre todas as partes interessadas.

Honestidade – Garantir a seriedade, o comprometimento e a responsabilidade nas ações.

Lealdade – Respeitar os princípios e regras que norteiam a honra e probidade, assim como ser fiel aos compromissos assumidos pela Cooperativa.

Transparência – Permitir, no âmbito dos limites legais, acessibilidade às informações institucionais, assim como estimular a franqueza em todas as relações da Cooperativa.

Sustentabilidade – Manter os negócios através do equilíbrio econômico, social e ambiental.

 

 

 

TEXTO – Leandro Augusto Hamester

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras notícias

Fórum Tecnológico do Leite

Gerenciamento da propriedade fecha ciclo de palestras online

Fórum Tecnológico do Leite

Segunda noite do evento debate sistemas produtivos

66 anos

Cooperativa promove campanha exclusiva para associados

Fórum Tecnológico do Leite

Gestão reprodutiva do rebanho pauta primeira noite do evento

Comitê Mulheres Cooperadas

Saúde da mulher será tema de palestra no dia 27 de outubro

Temporada de Prêmios Languiru

Ganhadores do primeiro sorteio recebem premiação

Cadeia leiteira

Fórum Tecnológico do Leite traz ciclo de palestras online

Temporada de Prêmios Languiru 2021

Sorteados primeiros vales-compras e motocicleta

“Somos penta”

Prêmio Exportação RS reconhece trabalho da Languiru no segmento alimentos

Ao continuar a utilizar o nosso website você concorda com a nossa política de privacidade.