Notícias

Dicas para amenizar os efeitos do Verão no rebanho

06/01/2019

A condição térmica do verão interfere diretamente na redução dos volumes de leite, visto que é um período onde a elevação da temperatura costuma deixar o rebanho desconfortável. A alta temperatura também contribui para que os ruminantes não se sintam à vontade para consumir a dieta. Soma-se a isso a falta de um ambiente que consiga oferecer conforto para o rebanho.

Os sinais podem ser diminuição do consumo de alimentos, aumento da ingestão de água e perda na eficiência reprodutiva. Apesar da importância da nutrição na produção de leite, nesta época o fator que mais influencia para manter a regularidade da produção é o conforto dos animais. Para amenizar os impactos do estresse calórico, é recomendado adotar medidas que envolvem desde mudanças no manejo até investimentos na estrutura da propriedade.

Conforto é essencial para amenizar os efeitos do calor (Fotos: Fernando Staggemeier)

 

Resfriar o ambiente com ventiladores e aspersores

 

As vacas costumam deitar no barro para resfriar, ou seja, trocam calor por contato. No entanto, é importante lembrar que essa é a melhor forma de reduzir a temperatura da zona térmica do animal. A troca de calor deve ocorrer com o ambiente, pelo movimento do ar em torno dos animais.

Temperaturas acima de 25° C fazem com que a vaca interrompa o consumo de alimentos. Dessa forma, é recomendado criar condições para resfriar tanto o ambiente como o animal, por meio da instalação de ventiladores e aspersores adequadamente dimensionados. Independentemente do tamanho da estrutura, o uso desses equipamentos é essencial para baixar a temperatura do ambiente e dos animais.

 

Evitar ordenhar no período mais quente

 

Outra dica é evitar ordenhar o rebanho nos períodos mais quentes do dia. Os horários mais indicados são entre 5h e 7h e entre 18h e 20h. Na sala de espera, as vacas não devem ficar mais de uma hora aguardando a ordenha. A superlotação na sala de espera pode acentuar a condição de estresse calórico.

 

Água logo após a ordenha

 

Durante o estresse calórico, o consumo de água por animal pode dobrar. De 40% a 60% da necessidade diária de água é suprida imediatamente após a ordenha. Dessa forma, é essencial fornecer água logo após a ordenha por meio de reservatórios na sala de espera ou nos galpões de climatização.

 

Sombra natural ou artificial

 

O plantel necessita de sombra para se proteger do calor, tanto que a exposição direta dos animais ao sol é prejudicial. Assim como os seres humanos, os ruminantes ficam desconfortáveis com a superexposição. Desta forma, oferecer uma sombra adequada é outra forma eficiente de dissipar o calor. Nas pastagens, é aconselhado instalar um sombrite para os animais e/ou cultivar espaços com árvores de densa folhagem. Inclusive, alguns trabalhos comprovam o aumento de 1,7kg leite por vaca /dia.

 

 

Colaboração: Engenheiro Agrônomo Fernando Staggemeier – Departamento Técnico/Setor de Leite

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras notícias

Meteorologia

Perspectivas do clima para o planejamento da lavoura serão pauta de encontro de associados

Grãos e hortifrúti

Languiru sela parceria com a Philip Morris

Dia do Colono e do Motorista

No campo, a tecnologia. Na estrada, a fé

Gratidão ao cooperativismo

“Eu sei mais ou menos como é o céu, é tão bonito, tão leve”

Tecnologia

Aplicativo reúne e fornece informações sobre captação de leite na propriedade rural

Dia C

Languiru lança segunda edição de projeto de gastronomia direcionado a comunidades carentes

Gestão e Liderança Cooperativa

Languiru inicia nova edição de curso previsto no Estatuto e Sistema de Governança

Expansão

Cooperativa Languiru inicia coleta de leite na Região Sul do Estado

Segurança pública

Languiru auxilia nas reformas do Presídio Estadual de Lajeado

Ao continuar a utilizar o nosso website você concorda com a nossa política de privacidade.