Notícias

Desempenho econômico e financeiro, governança e homenagem pautam reunião de líderes de Núcleo

10/04/2018

No dia 06 de abril ocorreu reunião de líderes de Núcleo da Languiru. Em pauta, números relacionados ao desempenho econômico e financeiro, detalhes quanto ao desenvolvimento do projeto de governança corporativa da cooperativa e homenagem de empresa parceira à Languiru.

O encontro, realizado na sala de reuniões da Associação dos Funcionários da Languiru, reuniu representantes dos 57 núcleos da cooperativa, distribuídos nos municípios da área de atuação e com integrantes do quadro social. A reunião foi coordenada pelo presidente Dirceu Bayer e ainda contou com a presença da gerente executiva de controladoria Carla Gregory, do diretor administrativo Euclides Andrade, do gerente de fomento Beto Aurélio Markus, do gerente executivo de indústrias Fabiano Leonhardt, da advogada Renata Ribeiro Madalosso Rosa, da secretária executiva Rosemeri Bergmann Krämer, do jornalista Leandro Augusto Hamester, da auxiliar de escritório Janete Dahmer, representantes do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal, além do sócio do escritório LM Dias Advocacia Empresarial, consultor da Languiru, Lucas Martins Dias.

Reunião de líderes de Núcleo foi coordenada pelo presidente Dirceu Bayer (Fotos: Leandro Augusto Hamester)

 

Desempenho e cenário

 

Carla e Andrade apresentaram números da Languiru, com detalhamento das demonstrações contábeis, demonstração do resultado no período acumulado de janeiro e fevereiro de 2018 e o desempenho individualizado por atividade e negócio da cooperativa.

Bayer falou sobre o atual cenário para a cadeia produtiva, mencionando as dificuldades para o setor de avicultura, além de novas exigências do Ministério da Agricultura e do Ministério do Trabalho. “Todas as empresas do setor sentem essas dificuldades, com a necessidade de investimentos num momento de baixa rentabilidade. A medida que o preço do milho e da soja sobem, o problema se agrava. Paralelamente a isso, há a retaliação chinesa aos Estados Unidos, o que afeta os negócios no mercado externo e interfere também no mercado interno. O quadro com relação às carnes é de preocupação”, avaliou.

Em contrapartida, o presidente se disse otimista com relação à cadeia leiteira. “A tendência é de que tenhamos um bom ano para o leite. Nesse cenário, mais uma vez percebe-se a importância da diversidade de negócios da Languiru. Estamos atentos e, hoje, 30% dos nossos negócios não dependem do leite e das carnes. Construímos essa possibilidade ao longo dos últimos anos. Precisamos ser eficientes e acompanhar o mercado”, frisou, adiantando futuros investimentos na rede de varejo, especialmente de supermercados da cooperativa.

Diretor de negócios e conselheiro do Grupo Agroceres, Fernando Pereira, falou do mercado e do trabalho desenvolvido pela Cooperativa Languiru

Bayer ainda reforçou o incentivo da Languiru para o plantio de milho, uma oportunidade de diversificação da produção para os associados. “Uma região com grande potencial para grãos é o Vale do Rio Pardo. Existe, inclusive, a possibilidade de novo investimento em unidade de recebimento de grãos e loja Agrocenter Languiru para atender os associados daquela região. Queremos estar cada vez mais próximos dos nossos produtores, numa visão estratégica de futuro”, disse, mencionando os benefícios do Cartão Verde para associados produtores de milho.

Por fim, falou do clima de otimismo para o atual exercício. “O desempenho econômico e financeiro da Languiru em 2018 nos parece que será muito bom, com resultado já nos primeiros meses do ano, quando o segundo semestre costuma ser melhor.”

 

Governança corporativa em cooperativas

 

Renata e Dias falaram do projeto de governança corporativa em cooperativas, que consiste na implementação de ferramentas de gestão, acompanhadas de devidas estruturações legais que permitem à Cooperativa Languiru aperfeiçoar o processo de profissionalização e modernização de sua gestão.

A partir desse projeto, uma das ferramentas que será implementada em breve trata do Manual de Transparência, Ética e Conduta (MTEC), que terá abrangência para todas as pessoas que se relacionam com a Languiru, como associados, conselheiros, colaboradores, fornecedores, prestadores de serviços, clientes, parceiros e a sociedade em geral.

“A cartilha com as diretrizes será disponibilizada a todos os envolvidos com a Languiru. É um código que já é adotado em outras empresas e cooperativas”, explicou Renata.

Dias acrescentou que a governança trabalha com “uma série de ferramentas jurídicas e operacionais-administrativas com o objetivo de melhorar a gestão e a segurança jurídica de atividades desempenhadas pela cooperativa”. O desenvolvimento do projeto conta com o envolvimento de um grupo de trabalho, que se reúne periodicamente para análise da estrutura da cooperativa sob diversos aspectos.

Nesse contexto, Bayer mencionou o Programa de Desenvolvimento de Conselheiros de Cooperativas e a retomada da Formação Gerencial de Sucessores da Agricultura Familiar. “Buscamos seguir melhorando o processo de gestão na cooperativa, atentando para alguns aspectos importantes, como a transparência e o fortalecimento dos princípios do cooperativismo. Essas formações são importantes para qualificar nossas lideranças, para que conheçam mais sobre o cooperativismo e a própria Cooperativa Languiru”, defendeu.

 

Homenagem

 

Encerrando a programação do encontro, a Languiru recebeu diretores e representantes da Agroceres Pic, empresa de genética no setor de suinocultura, que desenvolve trabalho de parceria com a cooperativa desde o início da década de 80.

Pereira (e), Bayer, Meincke e Lisboa na entrega de placa em homenagem à Languiru pela parceria com a Agroceres no desenvolvimento da suinocultura

Na oportunidade, o diretor de negócios e conselheiro do Grupo Agroceres, Fernando Pereira, o consultor Werner Meincke e o coordenador regional de vendas, Pedro Guimarães Lisboa, entregaram placa de homenagem ao presidente Dirceu Bayer pela parceria de longa data. Na Languiru, cerca de 60% da genética em suinocultura é trabalhada com a Agroceres.

Além da homenagem, Pereira falou do mercado e do trabalho da cooperativa teutoniense. “A Languiru é a primeira empresa brasileira multiplicadora de rebanho fechado, que hoje é uma regra de mercado. Agradecemos e procuramos demonstrar nossa satisfação pela confiança de muitos anos”, enalteceu.

O diretor também falou do dinamismo no ramo da suinocultura, avaliando o mercado de insumos, especialmente do milho e da soja, além de mencionar o mercado da carne bovina e de frango. “Existe um campo de oportunidades para o Brasil, mas devemos fazer a leitura correta, pois pode não ser algo sustentável. No mercado e na política, muito cuidado com as aparências”, concluiu.

 

 

 

 

TEXTO – Leandro Augusto Hamester

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras notícias

Aprendizado no campo

Programa Aprendiz Cooperativo concilia teoria com prática nas propriedades rurais

Clinic Care

Farmácias Languiru oferecem serviços especiais aos associados e clientes

Campanha

Languiru e Shopping Lajeado realizam promoção que sorteia R$ 34 mil em vales-compras

Futuro no campo

Languiru recebe inscrições para terceira edição do Programa de Sucessão Familiar

Inovação

Lançamento de plataforma digital para o agro ocorre no dia 20 de abril

Melhoramento genético

Chegou versão atualizada do Catálogo de Touros

Sucessão Rural

A satisfação pelo trabalho motiva os jovens a seguirem no agronegócio familiar

Inovação RS

Leite Languiru Origem é destaque em alimentos e bebidas premium

Desempenho

Em assembleia digital, Languiru apresenta faturamento histórico de R$ 1,8 bilhão

Ao continuar a utilizar o nosso website você concorda com a nossa política de privacidade.