Notícias

Assistência técnica – Integrados orientados sobre manejo pré-abate e pedidos de rações

25/09/2019

Reforçar a necessidade de seguir procedimentos que evitem contaminações no abate e sanar dúvidas dos produtores da integração da Cooperativa Languiru. Esses foram os objetivos de recente circuito de reuniões organizado pela equipe do Setor de Aves do Departamento Técnico. As reuniões ocorreram nos municípios de Imigrante, Marques de Souza, Teutônia e Westfália, contando com a participação de 250 produtores de aves.

Condições dos galpões e nutrição das aves foram temas debatidos pela assistência técnica (Fotos: Éderson Moisés Käfer)

Além da sistemática de pré-abate, outro tema debatido tratou dos pedidos de rações junto à Fábrica de Rações. A supervisão do setor de pedidos à granel tirou dúvidas e ouviu sugestões dos integrados. Alguns encontros também foram acompanhados pelo presidente da Languiru, Dirceu Bayer.

 

Nutrição e ambiência

 

Profissionais do Setor de Aves frisaram sistemáticas para tornar o jejum alimentar mais eficiente. O técnico Diego Schmidt enfatizou que as aves devem ter acesso livre à água até o momento do carregamento. Já a alimentação deve ser retirada conforme orientação técnica. O intuito é evitar qualquer tipo de contaminação. “O pré-abate é um período de curta duração, no entanto, com diferentes ameaças”, advertiu.

Schmidt observou que a iluminação é de extrema importância para o bem-estar do lote dentro do aviário. Sugeriu verificar as condições das lâmpadas dos galpões e indicou que a temperatura do aviário seja mantida entre 22° e 24° C. “O produtor deve caminhar no meio do lote com o propósito de movimentar as aves”, indicou.

Reuniões ocorreram em diferentes localidades da área de atuação da cooperativa

O médico veterinário Eduardo Baggio acrescentou que é possível melhorar o aproveitamento de frangos no abatedouro se manejos pré-abate forem bem executados pelos associados, com redução da contaminação das carcaças no abate e com velocidade constante no processo industrial.

 

Jamais misturar ração inicial com final

               

A coordenadora do Laboratório da Fábrica de Rações, Mônica Siegert, alertou os produtores para que jamais misturem rações do tipo inicial com do tipo final. Aconselhou esvaziar o silo, batendo nas laterais da estrutura para forçar o desgrude de restos, além de evitar o afunilamento. Informou que o prazo de carência nas rações de frango corte inicial 1 e 2 é de 12 dias.

Recomendou que os integrados programem a entrega das rações, evitando a falta do alimento para os lotes. Também aconselhou conferir na nota, o tipo e a quantidade de ração que foi entregue.

 

 

TEXTO – Éderson Moisés Käfer e Leandro Augusto Hamester

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras notícias

Meteorologia

Perspectivas do clima para o planejamento da lavoura serão pauta de encontro de associados

Grãos e hortifrúti

Languiru sela parceria com a Philip Morris

Dia do Colono e do Motorista

No campo, a tecnologia. Na estrada, a fé

Gratidão ao cooperativismo

“Eu sei mais ou menos como é o céu, é tão bonito, tão leve”

Tecnologia

Aplicativo reúne e fornece informações sobre captação de leite na propriedade rural

Dia C

Languiru lança segunda edição de projeto de gastronomia direcionado a comunidades carentes

Gestão e Liderança Cooperativa

Languiru inicia nova edição de curso previsto no Estatuto e Sistema de Governança

Expansão

Cooperativa Languiru inicia coleta de leite na Região Sul do Estado

Segurança pública

Languiru auxilia nas reformas do Presídio Estadual de Lajeado

Ao continuar a utilizar o nosso website você concorda com a nossa política de privacidade.